Weby shortcut
facebook
Exposição

Exposição: "Artistas de rua: poética em cada esquina"

Evento

: Hall térreo da Biblioteca Central

: Regional

: 18 Setembro 2018 às 12:00 a 19 Outubro 2018 às 20:00

A Biblioteca Central da UFG abre, no dia 18 de setembro às 12 horas, a exposição Artistas de rua: poética em cada esquina, de Pedro Galvão, no hall térreo da Biblioteca Central, que contará com a apresentação do quarteto de violonistas composto por Tayro Louzeiro, André Marcílio, Renan Machado e Mario Sales, alunos da EMAC que fazem parte do projeto "Aluno em Foco", coordenado pela professora Denise Zorzetti.

Pedro Galvão é goiano natural de Anápolis. Diagramador e design gráfico profissional, trabalhou em jornais e revistas, gráficas e agências de publicidades. Passou a dedicar com mais frequência às artes plásticas em 2012.

Realizou sua primeira exposição individual em 2015, "Clássicos, Cores E Cacos" na Galeria de Artes do Hotel Serras de Goyas. Ainda em 2015, participou de várias exposições coletivas, na Câmara Municipal, no Palácio Pedro Ludovico, dentre outras. Em 2016, expôs "Pontos Poéticos" em Brasília, no Túnel das Artes, Ministério da Fazenda. Em 2017 foi premiado com as obras "Cenário Goiânia, Artistas de Rua" no 23º Prêmio SESI Arte Criatividade.

A proposta do artista Pedro Galvão é mostrar pinturas de artistas de rua, em estilo próprio e bem definido. Ele revela toda sua admiração pelos malabaristas, equilibristas, palhaços, dançarinas e músicos captando movimentos mágicos destes artistas anônimos que enchem de alegria as ruas da cidade. A arquitetura de monumentos históricos em art déco e os edifícios contemporâneos da capital ganham contornos ainda mais belos no desenho e na luminosidade das cores do premiado artista.  

Compostas por cores alegres, as pinturas registram um cotidiano mágico e divertido, sem deixar de fazer criticas de caráter social.

Muitos destes artistas de rua são refugiados de outros países e encontram no Brasil uma oportunidade de mostrarem sua arte e de viverem dela. São: venezuelanos, equatorianos, colombianos, argentinos... Pedro acredita que esse fato é muito importante, pois mostra assim importância destes artistas de rua no atual contexto histórico e cultural.

Também em suas belas telas podemos observar monumentos históricos em art déco retratada. O personagem tem como cenário a estação ferroviária em ruínas abandonado pelo poder pública obra: “Estação do abandono”. Outra preocupação do artista é o mau hábito das pessoas jogarem lixos nas ruas, incomodado com esse atitude, Pedro pintou um painel onde o artista circense trabalha meio ao  lixo que tanto causa transtorno nas grandes cidades.

Exposição

Listar Todas Voltar